Doença pulmonar obstrutiva crônica (Sintomas e prevenção)

Você já ouviu falar numa sigla chamada DPOC? É a sigla para Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica e é bastante comum de ver nos hospitais, especialmente em idosos. Como o próprio nome já diz, é uma doença que atinge significativamente os pulmões, ou seja, o sistema respiratório.

De acordo com algumas estatísticas, o Brasil está entre os países com o maior número de casos da doença. Sendo assim, apesar de ser desconhecida pela maioria, merece toda a nossa atenção.

Confira abaixo mais sobre o assunto, saiba as principais causas desse problema e como funciona o tratamento e a prevenção.

O que é a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica?

A DPOC é uma obstrução de ar, ou seja, é uma dificuldade que o ar encontra ao entrar nos pulmões. Normalmente, a principal causa é a presença de um grande edema causado, por sua vez, por um processo inflamatório constante.

É comum que esse quadro se instale após o paciente apresentar bronquite ou enfisema pulmonar. Aliás, a DPOC tem esses dois problemas de saúde como sua principal característica.

A bronquite promove um estado de processo inflamatório constante, o que gera o edema e dificulta as trocas gasosas. O segundo causa a destruição dos alvéolos, estruturas essenciais para que ocorra a passagem de oxigênio para o sangue e o gás carbônico para o pulmão para que possa ser expelido. Assim, essa troca fica comprometida de uma forma geral.

Quais são os principais sinais e sintomas?

Essa é uma doença comum entre os fumantes ou pessoas que estiveram em contato constante com fuligem ou fogão à lenha. São pacientes que costumam apresentar os seguintes sinais e sintomas:

  • Fadiga constante pela falta de oxigenação do sangue;
  • Tosse;
  • Pigarro na garganta;
  • Produção de muco e catarro em excesso.

Além do fumo, há outros fatores de risco como história familiar e contato constante com produtos tóxicos.

Como é feito o diagnóstico?

Normalmente, essas pessoas chegam ao hospital apresentando diversos problemas de saúde, como dificuldade para respirar e até mesmo infarto ou AVC (derrame). Só durante a internação e por meio de exames é que recebem o diagnóstico de DPOC.

Há um exame mais específico para identificar a doença: a espirometria. É uma maneira de medir a “força” do sopro do paciente. Se o fluxo de ar indicado no exame está fraco, significa que há uma grande chance de ele ter DPOC.

O raio-X do tórax e a quantidade de oxigênio no sangue são outros exames que ajudam a confirmar o diagnóstico.

Como prevenir a DPOC?

Grande parte das doenças pode ser prevenida e com a DPOC não é diferente. Como uma das causas é o consumo do cigarro, uma forma de prevenção é abandonar o vício. Para isso, você pode buscar a ajuda de um psiquiatra ou um pneumologista para iniciar o tratamento.

Até mesmo a alimentação pode ajudar na prevenção. O que se sabe é que o consumo de carnes processadas, em uma quantidade maior que a necessária, pode prejudicar o funcionamento dos pulmões. Mas uma dieta rica em frutas e legumes ajuda a fortalecê-lo. Praticar exercícios também é de grande importância.

Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e mostre a mais pessoas como a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica pode ser prevenida!

Projeto Antitabagismo

O setor de Medicina Preventiva da A Unimed Cascavel tem um projeto que ajuda beneficiários  fumantes a cessarem o vício. Os encontros semanais (segundas-feiras, das 18h30 às 20h) abordam temas como gatilhos para o fumo, a escolha do “dia D”, métodos de parada, técnicas de respiração para controlar a ansiedade, orientação nutricional, manejos para trabalhar possíveis recaídas e sintomas de abstinência.

Quero participar

O projeto é aberto para qualquer beneficiário da Unimed Cascavel. Para se inscrever na próxima turma, ligue para (45) 3099-4161.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *