Semana mundial do Aleitamento Materno

Amamentar é amor! Início do Agosto Dourado e da Semana Mundial do Aleitamento Materno 2021
Uma das formas mais puras e representativas do amor entre mãe e filho, o aleitamento materno é tema do Agosto Dourado, instituído em todo o mundo e no Brasil como o mês dedicado à campanhas de informação e conscientização sobre a importância da amamentação. No dia 1º de agosto, é comemorado o Dia Mundial da Amamentação e também marca o início da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM), denominada em inglês como World Breastfeeding Week (WBW).

Origem do Agosto Dourado

E como surgiram essas datas tão importantes para o fortalecimento da campanha pró-aleitamento materno? A história teve início no ano de 1990, em encontro realizado pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Durante a reunião, foi criada e assinada a Declaração de Innocenti, que estabeleceu o dia 1º de agosto (data da assinatura da declaração) como o Dia Mundial do Aleitamento Materno. Já a Semana Mundial do Aleitamento Materno, entre os dias 1º e 7 de agosto, foi criada um ano depois, em 1991.
Além das datas estabelecidas para a conscientização, a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação (WABA) foi fundada em 1991 e, todos os anos, determina um tema mundial para a campanha e fornece materiais de base para mais de 100 países. Para o ano de 2021, a WABA escolheu o seguinte tema: “Proteger a Amamentação: Uma Responsabilidade de Todos”.
No Brasil, a Lei nº 13.435/2.017 institui o Agosto Dourado como o mês do aleitamento materno e determina que, durante todo o mês, sejam realizados eventos, palestras, campanhas de divulgação, ações e reuniões com a comunidade, e também a iluminação e decoração de espaços com a cor dourada. A escolha do dourado veio da associação do leite materno como um “alimento de ouro” para os bebês. 

10 passos para o sucesso da amamentação

Segundo a Declaração de Innocenti, que estabelece objetivos para reduzir a mortalidade infantil por meio do aleitamento materno, há 10 passos para o sucesso da amamentação. Eles devem ser cumpridos por todas as maternidades que seguem a Semana Mundial de Amamentação. São esses:

  1. Possuir e transmitir rotineiramente a toda a equipe de cuidados de saúde uma norma escrita sobre aleitamento;
  2. Realizar treinamento de toda a equipe de cuidados de saúde para que as normas sejam implementadas;
  3. Informar todas as pacientes gestantes sobre os benefícios e o manejo do aleitamento materno;
  4. Auxiliar as mães a iniciarem o aleitamento materno nos primeiros trinta minutos após o nascimento;
  5. Mostrar às mães como amamentar e manter a lactação, mesmo se vierem a se separar de seus filhos posteriormente;
  6. Não fornecer aos recém-nascidos nenhum alimento ou bebida além do leite materno, exceto em casos em que haja indicação médica;
  7. Estimular e praticar o alojamento conjunto, que permite que mães e bebês permaneçam juntos 24 horas.
  8. Encorajar o aleitamento materno sob livre demanda;
  9. Não dar chupetas ou bicos artificiais às crianças amamentadas ao seio;
  10. Promover o estabelecimento de grupos de apoio ao aleitamento, para onde as mães deverão ser encaminhadas por ocasião da alta, no próprio hospital ou ambulatório.

Benefícios do aleitamento materno

As vantagens da amamentação para a saúde e desenvolvimento dos bebês são inúmeras. Por meio do leite materno, a mãe transmite anticorpos que protegem a criança de doenças e diversos tipos de infecções, principalmente respiratórias. Além disso, o risco de desenvolver asma, diabetes e obesidade é menor em crianças amamentadas, mesmo após elas deixarem de mamar. 
Outros fatores positivos do aleitamento incluem o fortalecimento dos dentes e o desenvolvimento da face da criança, um fator importante para a fala e também para a respiração. O ato de mamar, com o bebê junto ao peito da mãe, traz calor, segurança e aumenta os vínculos afetivos. O leite materno também ajuda a evitar diarreias, minimiza as cólicas, melhora a digestão e protege o intestino dos bebês. 
Mas engana-se quem pensa que o aleitamento materno traz benefícios apenas para os bebês. A amamentação gera positivos impactos ambientais, sociais e até mesmo econômicos. Isso porque, ao fornecer ao bebê o aleitamento materno, a geração de lixo composto por embalagens e latas de fórmulas lácteas é reduzido drasticamente. 
Para o bolso da mãe e da família, o aleitamento também traz benefícios. Pesquisas da Associação Americana de Pediatria mostram que mães que fornecem apenas leite materno aos seus filhos durante os primeiros seis meses de vida dos bebês poupam cerca de mil dólares neste período. No Brasil, onde os produtos costumam ser ainda mais caros, o impacto financeiro para uma família é ainda maior em casos onde não é realizada a amamentação do bebê.  
Por isso, as ações de conscientização sobre o aleitamento materno são de suma importância para a saúde das pessoas e do planeta. Divulgue, participe e colabore com a Semana Mundial do Aleitamento Materno!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *